Desinfestação por Anoxia

A Biblioteca da FCT dispõe de um equipamento de expurgo por anoxia e disponibiliza serviços para o exterior.

Camara de expurgo

O sistema adquirido pela Biblioteca consiste em:

  • Câmara móvel , em PVC reforçado, com a capacidade de 12m3 (200 larg. x 300 comp. x 200 alt.), de onde é retirado praticamente todo o oxigénio (fonte de vida dos insectos) e introduzido um gás inerte (sem qualquer toxicidade).
  • Um gerador de azoto designado VPSA (Vacuum Pressure Swing Adsorber), embutido num armário isolado que, ao retirar o ar da Câmara, remove as moléculas de oxigénio (mediante o uso de um filtro de carvão), e o transforma em azoto;
  • Uma unidade de humidificação ultra-sónica;
  • Um computador com impressora e modem e o software ZerOx. Suporte informático que controla, avalia e mantém parâmetros pré-estabelecidos como o nível de oxigénio, humidade relativa e temperatura.

Serviços

Prestação de serviços a Entidades externas

Os tratamentos efectuados para clientes exteriores obedecem às seguintes condições:

Tabela de preços

Preço Base: 165 € por metro cúbico (acrescido de IVA à taxa legal)

*Nota: O valor mínimo a cobrar é de 165 € + IVA.

Tecnologia

O que é o expurgo por anoxia?

O método de desinfestação por anoxia consiste na modificação artificial da atmosfera (prática designada por atmosfera controlada) de um determinado espaço, mediante a retirada de oxigénio até níveis inferiores a 0,5% e a introdução de um gás inerte, neste caso o azoto. Paralelamente procede-se à monitorização dos níveis de temperatura e humidade relativa, que mantidos dentro de determinados parâmetros promovem a maior eficiência dos tratamentos. O método elimina os insectos por desidratação e asfixia.

Que tipo de objectos/materiais podem ser sujeitos a este tratamento?

Papel, Pergaminho, Couro, Madeira, Têxteis (materiais orgânicos).

Quanto tempo duram os tratamentos?

O tempo mínimo aconselhado para cada tratamento deverá ser de 21 dias, para que a penetração do azoto actue até ao nível do ovo do parasita.

O tratamento é eficaz?

Os tratamentos são eficazes, desde que as peças tratadas sejam colocadas em locais não contaminados.

Que cuidados se devem ter após o tratamento?

Os locais onde as peças sujeitas a tratamento são colocadas devem ser limpos e desinfectados cuidadosamente para que se eliminem eventuais focos de infestação. Após o tratamento as peças devem ser limpas. Uma peça tratada não pode ser colocada junto de peças contaminadas.

Para saber mais sobre a desinfestação por anoxia:

A desinfestação com recurso a produtos químicos revelou-se nociva para as espécies bibliográficas, para o Homem e para o ambiente, tornando premente a descoberta de alternativas.

A investigação e desenvolvimento de técnicas de desinfestação por meio de atmosferas modificadas desenvolveu-se a partir de meados do século XX, em produtos alimentares armazenados, estendendo-se, posteriormente, a bens culturais. A aprovação em 1980 da utilização do azoto e do dióxido de carbono para o controlo de pragas em produtos alimentares, pelo governo americano, abriu caminho à investigação desta metodologia e à sua aplicação noutras áreas, especificamente no âmbito da cultura.

A utilização de atmosferas com elevada concentração de dióxido de carbono, eficientes em projectos de larga escala, mostrou-se problemática em termos da sua aplicabilidade a produtos culturais.

Este facto, promoveu novos estudos tendo-se chegado à conclusão que era preferível a utilização de azoto associado à redução dos níveis de oxigénio (numa percentagem inferior a 0,5%), por ser mais fácil de controlar em operações de pequena escala

As décadas de 1980/90 ficaram marcadas pela experimentação e afinação do método e pela proliferação de instituições que, um pouco por todo o mundo, recorriam a este método especificamente museus, bibliotecas e arquivos. Em concreto o método elimina os insectos por desidratação e asfixia.

A colecção, peça de museu ou outro bem a ser sujeito a tratamento, é isolado numa câmara ou bolha, produzida em PVC, polietileno (PE) ou politetrafluoretileno (PTFE), à qual é retirada todo o oxigénio e introduzido, em sua substituição um gás inerte, neste caso o azoto.

Uma das particularidades deste método é que tem que haver uma monitorização constante dos níveis de oxigénio dentro da câmara de modo a que nunca exceda os 0,3%.

São igualmente controlados durante todo o tratamento a pressão, a temperatura e os níveis de humidade relativa dentro da câmara.

Este tipo de tratamento é aconselhável tanto em pequenas infestações, localizadas, como em infestações em estado mais avançado.

A literatura da especialidade dá testemunho da evolução desta tecnologia e do seu sucesso.

Este tipo de tratamento não é eficaz na eliminação de parasitas anaeróbicos.

Bibliografia

Monografias

    • DAWSON, Jonh E. - Solving museum insect problems : chemical control / John E. Dawson, Canadian Conservation Institute. - Ottawa, Canada : Canadian Conservation Institute : Canadian Heritage, cop. 1992. - 26 cm ; 28 cm. - (Technical Bulletin ; 15)
    • FLORIAN, Mary-Lou - Heritage eaters : insects and fungi in heritage collections / Mary-Lou Florian. - London : James & James, cop. 1997. -164 p. : il. ; 30 cm
    • INTEGRATED PEST MANAGEMENT - Integrated pest management / A. J. Burn, T. H. Coaker, P. C. Jepson, ed. lit.. - London : Academic Press, cop. 1987. - XI, 474 p. : il. ; 24 cm
    • INTEGRATED PEST MANAGEMENT FOR COLLECTIONS - Integrated pest management for collections : proceedings of 2001 : a pest odyssey / edited by Helen Kingsley ... [et al.]. - London : Science Museum, English Heritage, National Preservation Office, James & James, cop. 2001. - VII, 150 p. : il. ; 30 cm
    • MAEKAWA, Shin, e outro - The use of oxigen-free environments in the control of museum insect pests / Shin Maekawa, Kerstin Elert. - Los Angeles : The Getty Conservation Institute, cop. 2003. - IX, 157 p. : il. ; 28 cm. - (Tools for Conservation)
    • MESA REDONDA - Mesa redonda : nuevos sistemas de tratamiento con atmosferas inertes para la exhibicion y conservacion de momias, aplicacion a una momia egipcia del museo balaguer [fotocópia]. - Barcelona : [s.n.], [s.d.]. - pag. var. : il. ; 30 cm
    • OXYGEN-FREE MUSEUM CASES - Oxygen-free museum cases / edited by Shin Maekawa. - New York : The Getty Conservation Institute, 1998. - XII, 71 p. : il. ; 28 cm. - (Research in conservation)
    • PINNIGER, David - Pest management in museums, archives and historic houses / David Pinniger ; illustrated by Annette Townsend ; rodent and bird chapter by Adrian Meyer. - London : Archetype, cop. 2001. - IX, 115 p. : il. ; 24 cm
    • RUST, Michael K., e outro - The feasibility of using modified atmospheres to control insect pests in museums : final report contrat no. GF/RUST/89, July 1, 1989 - December 12,1991 / Michael K. Rust, Janice M. Kennedy. - Riverside, US ; Marina del Rey, US : Department of Entomology, University of California : The Getty Conservation Institute, cop. 1993. - 123 p. : il. ; 28 cm.
    • SELWITZ, Charles, e outro Inert gases in the control of museum insect pests / Charles Selwitz, Shin Maekawa. - New York : The Getty Conservation Institute, 1998. - XV, 107 p. : il. ; 28 cm. - (Research in conservation) Também disponível on-line: www.getty.edu/conservation/publications/pdf_publications/inertgases.pdf-
    • STRANG, Thomas J.K., e outro - Controlling vertebrate pests in museums / Thomas J. K. Strang, John E. Dawson, Canadian Conservation Institute. -Ottawa, Canada : Canadian Conservation Institute : Canadian Heritage, cop. 1991. - 10 p. ; 28 cm. - (Technical Bulletin ; 13)
    • STRANG, Thomas J. K., e outro - Controlling museum fungal problems = Le contrôle des moisissures dans les musées / Thomas J. K. Strang, John E. Dawson, Canadian Conservation Institute. - Ottawa, Canada : Canadian Conservation Institute, 1991. - 8 p. : il. ; 28 cm. - (Technical Bulletin ; 12)
    • Zycherman, L. ; Schrock,R., eds. A guide to pest control in museums. Washington, D.C. : Foundation of the American Institute for Conservation of Historic and Artistic Works, 1988.

Toda a bibliografia referenciada existe na Biblioteca.

Informação disponível on-line

Tabela de Conversão (valores aproximados)

1metro linear = ± 35 livros ou 10 caixas de arquivo de 8mm

1m3 = 10 metros lineares

Daniel, Vinod ; Hanlon, Gordon ; Maekawa, Shin. Eradication of Insect Pests in Museums Using Nitrogen. IN: Waac Newsletter Vol. 15, Number 3, Sept 1993, pp.15-19. http://palimpsest.stanford.edu/waac/wn/wn15/wn15-3/wn15-307.html

Leituras Científicas

Título:
 FAB

Outras Leituras

 

Título:
 Designing Reality